Dicas ao escolher um filhote

A companhia de um cãozinho é muito gratificante e pode trazer muita alegria para as pessoas e para a família, principalmente para as crianças. Mas, antes de se decidir, convém observar algumas regras básicas, que poderão ajudá-lo nesta importante tarefa que é a de escolher mais um membro para sua família:

 

1.- Qual a finalidade? Cão de Serviço, de Guarda, de Companhia, Guarda Pessoal ou Territorial. Se for para guarda e companhia deve-se ser mais rigoroso quanto ao temperamento. Para guarda territorial a escolha deverá ser para um animal macho. A fêmea deverá ser escolhida para guarda pessoal por ser mais ciumenta.

 

2.- Qual o sexo? Praticamente para todas as raças o macho, quando adulto, é mais rústico, mais pesado e menos dado a brincadeiras enquanto que a fêmea é mais dócil, meiga e ciumenta.

 

3.- Com "pedigree" ou sem? O "pedigree" de um cão é uma garantia quanto à origem do animal. Em outras palavras é um registro oficial de que aquele animal possui todas as características da raça dos pais.

 

4.- O quê observar? Manchas no peito, nas patas e quinto dedo (unha): verifique com o padrão da raça, algumas permitem outras não. Falta de testículos no macho. Timidez e medo de barulho. Surdez ou cegueira. Cães magros ou raquíticos. Filhotes que não deitam com as patas para trás: pode ser má formação das articulações coxofemurais.

 

5.- Qualidades! Filhotes que tenham bom temperamento, alegres, brincalhões, espertos. Observe-o com os outros filhotes. Faça algum barulho forte, não escolha os medrosos. Veja se têm boa movimentação com todas as patas e tenham um bom desenvolvimento ósseo. Estejam sem vermes e sem erupções no ventre, sem corrimento nos olhos e principalmente sem diarreia. Nunca escolha um filhote sem apetite, amuado e triste. Após a compra, não se esqueça, leve-o ao Médico Veterinário.


ar2
Webmail Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Resultados no Bing Resultados no Google RSS Feeds